Multas tributárias: o que nunca te contaram sobre os limites

Advogado com papéis nas mãos, assinando um contrato, simbolizando as multas tributárias.

Advogados revelam o que é a multa tributária e como funciona o princípio da proporcionalidade.

 

 

As multas tributárias podem ser uma grande preocupação para pessoas físicas e jurídicas. Elas podem ser aplicadas caso haja algum erro na declaração ou no pagamento dos impostos, por exemplo. 

 

É preciso, porém, levar em consideração a questão dos limites existentes, que não podem afetar o princípio da proporcionalidade presente na Constituição. Em outras palavras, deve haver o equilíbrio em relação ao ato que foi cometido. 

 

Sendo assim, antes de qualquer coisa, é preciso avaliar se as multas tributárias são proporcionais ao erro cometido ou se há um valor estabelecido pela legislação. Neste artigo, vamos entender como funciona a proporcionalidade e como evitar esses débitos. Acompanhe o artigo até o final e confira a seguir: 

 

O que são as multas tributárias?

 

Em primeiro lugar, pode-se dizer que as multas tributárias são deduções financeiras que as empresas ou pessoas físicas recebem por não cumprirem as obrigações fiscais.  O objetivo é incentivar o cumprimento das normas tributárias e punir aqueles que descumprem as regras. 

 

Essas multas podem ser aplicadas por várias razões. Algumas das principais são:

 

  • Atraso no pagamento de impostos,;
  • Não apresentação de declarações fiscais;
  • Sonegação de impostos.

 

Além disso, elas costumam ser uma preocupação para todas as empresas, independentemente do tamanho ou setor. Isso porque, elas podem ter um impacto significativo nas finanças da empresa. Pode, portanto, levar a consequências legais, como ações judiciais ou questões fiscais.

 

A regulamentação das multas tributárias é pela Lei nº 9.430/96. Elas estão sujeitas de acordo com o tipo de infração que o contribuinte cometeu. Essa lei estabelece as deduções e sua aplicação ocorre em caso de descumprimento de obrigações, bem como outros critérios. 

 

Além disso, outras leis e normas complementares podem tratar especificamente de multas tributárias em relação a certos impostos, taxas e contribuições.

 

Quer saber mais sobre as multas e realizar o planejamento tributário da sua empresa? Um advogado especializado em Direito Empresarial e/ou Tributário pode te ajudar! 

 

Principais causas de multas tributárias

Existem algumas causas para as multas tributárias, entre as quais é possível destacar: 

 

Atraso no pagamento de impostos

Uma das principais causas de multas tributárias é o atraso no pagamento de impostos. Quando uma empresa não paga seus impostos dentro do prazo que se estabelece, ela pode receber uma multa. O valor da multa pode variar, a depender do valor do imposto em questão e do tempo de atraso.

 

Vale destacar que quando esses impostos não são pagos, pode levar a graves consequências. Por exemplo: perda do CNPJ, bloqueio de contas bancárias e até mesmo a prisão do responsável. 

 

Não apresentação de declarações fiscais

Outra causa comum de multas tributárias é a não apresentação de declarações fiscais. As empresas devem apresentar declarações fiscais regularmente, como o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

 

Além disso, um fator que também pode levar às multas são os erros no preenchimento de declarações. Eles podem gerar multas e até mesmo uma investigação por parte da Receita Federal. 

 

Para evitar esse tipo de problema em empresas, é fundamental conferir todas as informações antes de enviar a declaração. Além disso, é importante buscar a ajuda de um advogado especialista em Direito Empresarial.

 

Falta de comprovação de despesas

Quando a empresa não consegue comprovar as despesas que realizou, ela pode receber autuação pela Receita Federal e, com isso, uma multa. Por isso, é importante manter um registro em detalhes de todas as despesas. Isso inclui, por exemplo, as notas fiscais, recibos, entre outros. 

 

Ao consultar um advogado especializado em Direito Empresarial e/ou Tributário, você terá uma boa orientação sobre as causas de multas na sua empresa e como resolvê-las.

 

A proporcionalidade das multas tributárias

A proporcionalidade das multas tributárias se relaciona ao valor do tributo devido e ao tipo de infração que o contribuinte cometeu. Em outras palavras, esse conceito jurídico se refere à necessidade de que a punição seja justa e adequada ao nível de transgressão. Na legislação tributária, isso quer dizer que as multas devem ser proporcionais à gravidade da infração.

 

Em geral, quanto maior o valor do tributo devido e mais grave por infração, maior será a multa em aplicação. Isso porque, determina-se a multa com base em uma porcentagem do valor do imposto. Essa quantia se multiplica pelo número de dias em que o contribuinte está em atraso.

 

Por exemplo, se um contribuinte deve R$ 10.000,00 em imposto e a multa é de 1% ao dia, isso significa que a cada dia de atraso ele deve pagar R$ 100,00 em multas. Se, porém, ele pagasse o imposto com um dia de atraso, sua multa seria de R$ 100,00. Se ele pagasse com três dias de atraso, a multa seria de R$ 300,00.

 

Existem, porém, algumas regras que podem influenciar o cálculo da multa. Por exemplo a possibilidade de redução ou isenção de multas em certas situações. Isso é comum em caso de adesão a programas de parcelamento de dívida ou situações de força maior que impedem o contribuinte de cumprir suas obrigações fiscais.

 

Fique por dentro de tudo sobre as multas tributárias: encontre o advogado ideal agora mesmo! 

 

Contrate o advogado ideal para o seu caso

 

Quais são os tipos de multas tributárias?

As multas tributárias são penalidades que o governo  aplica aos contribuintes que não cumprem as obrigações fiscais. Sendo assim, eles podem encaminhar essa multas por diversos motivos, desde atraso na entrega de declarações até evasão fiscal.  Veja quais são os tipos de multas existentes: 

 

Multa moratória

A multa moratória é uma penalidade imposta pelo Governo Federal quando o contribuinte não paga seus impostos na data de vencimento estabelecida. Calcula-se o valor da multa, portanto, em cima do valor do tributo em dívida e pode chegar a até 20% do valor total.

 

O objetivo é desestimular a inadimplência, garantir o correto pagamento dos impostos e fomentar a arrecadação de recursos para investimentos governamentais.

Segundo a Lei nº 9.430/96, a multa será calculada em 0,33% ao dia, limitada a 20% do tributo devido. O seu pagamento é obrigatório e deve seguir o mesmo prazo estabelecido para o pagamento do tributo.

 

Caso o contribuinte não efetue o pagamento da multa, essa será acrescida do valor da dívida. Além disso, também sofrerá acréscimos diários de juros de mora, que são calculados pela taxa SELIC.

 

Uma boa dica para evitar a multa tributária moratória, o contribuinte deve ficar de olho nas datas de vencimento e realizar o pagamento de seus impostos em dia. Caso ocorra algum imprevisto que impeça o pagamento na data correta, não se preocupe! É possível solicitar uma prorrogação do prazo ou um parcelamento da dívida, evitando assim, o acréscimo de multas e juros.

Multa punitiva isolada

As multas punitivas isoladas são sanções administrativas com aplicação pelo poder público. O objetivo é penalizar empresas e indivíduos que não estão de acordo com as normas legais. 

 

Essas multas, também conhecidas como multas compensatórias, são aplicadas de forma individual. Em outras palavras, elas não se acumulam com outras multas em caso de infrações cometidas no mesmo contexto.

 

É importante entender que as multas punitivas isoladas são aplicadas por diferentes órgãos competentes, de acordo com a natureza da infração cometida. Por exemplo, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) pode aplicar multas a planos de saúde que descumprem normas relacionadas ao atendimento ao cliente. Enquanto isso, a Receita Federal pode aplicar multas a empresas que deixam de pagar impostos.

 

Exemplos de motivos para a aplicação de multas incluem descumprimento de obrigações trabalhistas, danos ambientais e propaganda enganosa, entre outros. Caso seja constatada a infração por parte de empresa ou pessoa física, há a emissão de um auto de infração. Ele deve conter informações sobre o ocorrido, valor da multa, prazo para recurso da ação e demais detalhes pertinentes .

 

Multa punitiva acompanhada do lançamento de ofício

Por último, mas não menos importante, uma das formas pelas quais as multas punitivas são aplicadas é por meio do lançamento de ofício. Essa modalidade, nada mais é, do que uma iniciativa do próprio órgão de fiscalização para cobrar os tributos devidos.

 

O lançamento de ofício é baseado em um procedimento administrativo, no qual o órgão de fiscalização realiza uma investigação. Sendo assim, a ideia é verificar se há algum tributo que não foi pago ou que foi pago de forma incorreta. 

 

Se for constatada alguma irregularidade, o órgão emite uma notificação fiscal para o contribuinte. Nele, há a informação sobre a existência da infração e solicitação quanto ao pagamento do tributo devido, bem como o valor da multa punitiva.

 

Caso o contribuinte não pague a multa punitiva, o órgão de fiscalização pode adotar outras medidas mais complexas. Por exemplo: a cobrança judicial do valor devido, que pode resultar em penhora de bens, bloqueio de contas bancárias, entre outras medidas.

 

Por isso, é fundamental que a empresa ou pessoa física cumpra as obrigações fiscais, bem como as exigências legais e pague os tributos devidos. Isso evitará a aplicação de multas punitivas e o lançamento de ofício, o que pode causar prejuízos financeiros e até mesmo levantar questões éticas ou morais.

 

Como evitar multas tributárias nas empresas?

Para evitar multas tributárias no âmbito empresarial, é fundamental que os contribuintes conheçam bem suas obrigações fiscais. Além disso, eles devem cumprir essas normas tributárias de forma correta e pontual. Sendo assim, alguns cuidados importantes são:

 

Conheça suas obrigações fiscais

A primeira e mais importante dica é conhecer suas obrigações fiscais. Isso quer dizer, portanto, que você deve estar ciente de todas as leis tributárias aplicáveis à sua empresa. 

 

Além disso, é muito importante que você se mantenha atualizado sobre as mudanças nas leis tributárias e cumpra todas as obrigações fiscais relevantes.

 

Mantenha os registros contábeis e fiscais atualizados

Manter registros precisos é essencial para evitar multas tributárias. Isso inclui receitas, despesas, folha de pagamento, impostos retidos na fonte e muito mais. Certifique-se de que seus registros estejam organizados e facilmente acessíveis para que você possa responder rapidamente a qualquer auditoria ou inspeção.

 

Fazer o planejamento tributário adequado

O planejamento tributário adequado é essencial para garantir a saúde financeira de uma empresa. Isso porque, ao se planejar adequadamente, pode-se identificar formas de reduzir a carga tributária, evitando desperdícios de recursos em pagamentos excessivos de impostos e taxas. 

 

Além disso, um planejamento tributário bem feito também ajudará a evitar problemas fiscais, incluindo o caso de multas e penalidades, que podem ser aplicadas em empresas que descumprem as leis tributárias.

 

Realize as declarações de impostos de forma correta e dentro do prazo

A declaração correta e dentro do prazo é crucial para a manutenção da saúde financeira de uma empresa e para evitar possíveis sanções e multas por parte do governo.

 

Isso porque, além de evitar as multas tributárias, a realização das declarações de impostos ajuda a empresa a ter um controle mais preciso de suas finanças. Isso permite que haja o melhor planejamento das suas atividades e investimentos. Ao ter um registro detalhado de todas as transações, a empresa pode tomar decisões estratégicas e maximizar seus lucros.

 

Quer tirar suas dúvidas sobre multas tributárias? A equipe Mercado Legal pode te ajudar!

Por fim, o objetivo deste artigo é mencionar, de forma geral, do que se tratam as multas tributárias e como funciona o princípio da proporcionalidade em sua aplicação. É possível, porém, que você ainda esteja com algumas dúvidas sobre a temática, certo? 

 

Isso acontece porque o contexto pode variar para cada organização empresarial em específico. Para ajudá-lo nesse processo, o Mercado Legal pode te ajudar! Temos uma rede de advogados que podem proporcionar o suporte que você precisa para evitar as multas tributárias ou resolver as questões jurídicas relacionadas a esse processo.

 

Nossa missão é facilitar a busca pelos seus direitos! Acreditamos que um trabalho baseado em ética, comprometimento e profissionalismo são essenciais para promover o acesso à Justiça. O melhor é que temos condições especiais para novos membros que desejam fazer parte da nossa comunidade. 

Consulte a lista de advogados do Mercado Legal e peça uma cotação agora mesmo.

Compartilhe nas redes sociais

Assine nossa
Newsletter

Seus Direitos

Publicações relacionadas

Ver todos

Qual a sua dúvida?

Clicando no botão abaixo sua mensagem aparecerá no WhatsApp e você precisa enviá-la ao advogado escolhido. Em seguida o profissional dará continuidade ao seu atendimento por lá.

[rs-search-form type="full"]
Filtros
[rs-search-form type="full"]
Como foi sua experiência com este advogado?
5/5
[rs-comment-form]
$(window).on('scroll', function(){ if($("#transBlack")is(':visible')){$("#transBlack").addClass(".blackSession");}});