Contratos abusivos e práticas comerciais desleais: tudo que você precisa saber

Imagem de duas pessoas com as mãos na mesa e uma delas segurando um contrato com caneta nas mãos, simbolizando os contratos abusivos e práticas comerciais desleais.

Advogados revelam tudo que você precisa saber para evitar práticas comerciais desleais e contratos abusivos.

 

 

Os contratos abusivos e práticas comerciais desleais podem causar grandes transtornos para os consumidores. Nas empresas, elas acontecem a partir de comportamentos que vão desde o engano ao consumidor até o uso de informações para benefício próprio.

 

A Lei nº 8.078/1990, mais conhecida como Código de Defesa do Consumidor, é a responsável por regulamentar as relações comerciais. De acordo com o Art. 51, as cláusulas que se referem aos produtos e serviços, mas que possuem condições abusivas, devem ser anuladas, tendo em vista que esse é um direito do consumidor.

 

Pensando nisso, nós do Mercado Legal preparamos um conteúdo completo, com dicas sobre como identificar os contratos abusivos e o que fazer para proteger seus direitos. Acompanhe até o final e saiba mais!

 

O que são contratos abusivos?

Em primeiro lugar, pode-se considerar que existem contratos abusivos quando o mesmo contém cláusulas que prejudicam o consumidor. Essas cláusulas podem incluir cobrança excessiva, limitação de direitos e obrigações excessivas para o consumidor. Além disso, também envolve outras práticas que caracterizam abuso de poder por parte do fornecedor.

 

Pode-se considerar que esses contratos são injustos, desequilibrados e até ilegais, em alguns casos. Algumas características comuns de um contrato abusivo incluem cláusulas ocultas ou pouco claras, multas e reduções excessivas, renúncia a direitos legais e outras formas de desigualdade de poder entre as partes. 

 

Em todos os casos, vale a pena ler atentamente e entender todas as cláusulas de um contrato antes de assiná-lo, e buscar o suporte de um advogado especialista em Direito do Consumidor, caso haja dúvidas ou preocupações. Se um contrato for considerado abusivo, é possível contestá-lo na justiça e buscar a reparação pelos danos causados.

 

Como funcionam os contratos celebrados com práticas comerciais desleais?

Contratos celebrados com práticas comerciais desleais podem assumir diversas formas, mas em geral envolvem uma parte aproveitando-se da vulnerabilidade ou falta de informação da outra parte para obter vantagem ilimitada.

 

Algumas práticas comerciais desleais que podem ocorrer em contratos incluem:

 

Enganar ou iludir o outro lado

Isso pode envolver a utilização de declarações falsas ou enganosas sobre o produto ou serviço, ou a ocultação de informações importantes que podem influenciar uma decisão da outra parte.

 

Coagir ou pressionar a outra parte

Isso pode incluir o uso de práticas que intimidem uma parte para fazer com que a outra parte concorde com termos desfavoráveis. Isso também pode incluir a imposição de prazos irrealistas, que deixem a outra parte sem escolha, a não ser consentir.

 

Explorar a falta de conhecimento ou compreensão da outra parte

Geralmente, esses casos envolvem a inclusão de termos ou condições confusas ou ambíguas no contrato. Além disso, também são dispostos por meio da utilização de linguagem técnica ou jurídica que a outra parte não entende.

 

Aproveitar da desigualdade de poder entre as partes

Acontece quando uma das partes tem muito mais poder ou influência do que a outra. Esse fator, portanto, lhe permite impor termos desfavoráveis ​​ou negociar em uma “posição de força”.

 

Quer saber mais sobre os contratos abusivos e práticas comerciais desleais? Consulte um advogado da área de Direito do Consumidor.

Como identificar os contratos abusivos?

As práticas comerciais desleais, embora pareçam distantes, ainda são muito comuns nas empresas. Por isso, é muito importante que o consumidor saiba como identificar os contratos abusivos. Veja algumas formas mais comuns: 

 

  • Leia todo o contrato: parece claro, mas muitas pessoas simplesmente assinam um contrato sem ler todas as cláusulas. É importante ler o contrato com atenção, especialmente as cláusulas que parecem mais complexas ou que parecem favorecer uma das partes.
  • Analise a linguagem utilizada: contratos abusivos muitas vezes usam uma linguagem rebuscada e complexa, com termos técnicos difíceis de entender. Se você não conseguir entender uma cláusula, peça esclarecimentos antes de assinar o contrato.
  • Identifique as cláusulas que limitam seus direitos: muitos contratos abusivos contêm cláusulas que limitam os direitos do consumidor, como o direito de reclamar sobre o produto ou serviço. Essas cláusulas são ilegais e devem ser questionadas.
  • Verifique se há um equilíbrio entre as obrigações: um contrato justo deve conter obrigações equilibradas para ambas as partes. Se o contrato coloca uma parte em autônomo, é um sinal de que pode ser abusivo.
  • Avalie como depósitos: algumas cláusulas de contrato incluem depósitos excessivos, como multas ou juros altos. Se essas taxas parecerem desproporcionais em relação ao serviço ou produto oferecido, é provável que o contrato seja abusivo.

 

Se você suspeitar que um contrato é abusivo, é importante procurar ajuda de um advogado especializado em Direito do Consumidor. Ele poderá analisar o contrato e ajudar a identificar cláusulas abusivas e garantir que seus direitos estejam protegidos.

 

Quais são as práticas comerciais desleais mais comuns?

 

Existem várias práticas comerciais desleais que são comuns em todo o mundo. Entre elas, estão:

 

Publicidade enganosa

Isso ocorre quando uma empresa faz declarações falsas ou enganosas sobre um produto e/ou serviço. Por exemplo, no caso em que há afirmações falsas sobre os benefícios de um produto ou quando são ocultas informações importantes sobre um produto.

 

Venda casada

A venda casada acontece quando uma empresa obriga um cliente a comprar um produto ou serviço adicional para obter um produto ou serviço desejado. Por exemplo, quando eles exigem que um cliente compre uma garantia para comprar um produto eletrônico.

 

Preços predatórios

Isso ocorre quando uma empresa vende produtos ou serviços abaixo do custo para eliminar a concorrência. Em seguida, quando a concorrência é, possivelmente, “eliminada”, eles aumentam os preços.

 

Geralmente, esse aumento de preço sem justa causa acontece quando uma empresa aumenta esses preços de seus produtos ou serviços sem uma razão válida. Isso pode acontecer por uma série de motivos, como ganância, escassez temporária de um produto ou serviço, aumento dos custos de produção ou distribuição, entre outros.

 

O problema com essa prática é que ela pode prejudicar os consumidores. Quando uma empresa aumenta os preços sem justificativa e eles já fecharam um contrato, por exemplo, podem ser forçados a pagar mais dinheiro por um produto ou serviço. Isso, por sua vez, pode afetar seu orçamento e limitar sua capacidade de compra.

 

Concorrência desleal

Na concorrência desleal, a empresa usa práticas desleais para “roubar” clientes ou informações de concorrentes. Por exemplo, espionagem industrial ou roubo de segredos comerciais.

 

Publicidade com comparações enganosas

Ela se caracteriza quando uma empresa faz comparações enganosas entre seus produtos ou serviços e os de seus concorrentes. Por exemplo, afirmando que seus produtos são superiores aos dos concorrentes sem evidências ou dados objetivos.

 

Cobrança indevida

Uma cobrança indevida é quando uma empresa ou prestador de serviços cobra um valor que não é devido pelo consumidor. Essa situação pode ocorrer por diversos motivos, como falhas no sistema de cobrança ou até mesmo fraude. Por isso, é importante desconfiar de empresas que oferecem serviços ou produtos de forma gratuita ou com desconto excessivo. 

 

Telemarketing abusivo

Entre as práticas comerciais desleais ou previstas em contratos abusivos, está o telemarketing abusivo. Esse tipo de conduta pode causar muitos problemas para os consumidores. Isso porque, as ligações podem ser invasivas, especialmente se forem feitas em horários inconvenientes. Além disso, muitas vezes os vendedores são agressivos e tentam convencer o consumidor a comprar o produto ou serviço, mesmo que ele não esteja interessado.

 

Outro problema com o telemarketing abusivo é que muitas vezes as empresas que o praticam não respeitam a privacidade dos consumidores. Um exemplo dessas situações, é quando as empresas obtêm informações pessoais dos consumidores, como seus números de telefone, sem a sua autorização. Isso pode levar a um grande número de ligações indesejadas e, em alguns casos, até mesmo a fraudes.

 

 

Código de Defesa do Consumidor e contratos abusivos: o que diz a lei?

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) define como contratos abusivos aqueles que prejudicam o consumidor de alguma forma.

 

A legislação determina que os contratos devem ser claros, precisos e com linguagem acessível. Isso porque, o consumidor deve entender todas as suas cláusulas e condições. Além disso, o CDC proíbe cláusulas abusivas nos contratos, que são aquelas que limitam ou excluem direitos do consumidor de maneira desproporcional.

 

O CDC prevê ainda que os contratos devem ter um equilíbrio. Em outras palavras, devem levar em consideração os interesses e necessidades tanto do consumidor, como também do fornecedor. De acordo com a lei, caso o indivíduo considere o contrato como abusivo, ele possui o direito de requerer sua revisão ou nulidade. Além disso, também pode exigir a reparação pelos danos eventualmente sofridos.

 

O que fazer em caso de contratos abusivos e práticas comerciais desleais?

Se você se encontrar em uma situação de contratos abusivos, aqui estão algumas medidas que você pode tomar para proteger seus interesses:

  • Reúna provas: É importante coletar todas as evidências que podem verificar as práticas comerciais desleais que estão previstas no contrato ou em outras formas de contato, como por exemplo, em e-mails.
  • Não assine o contrato: Se você não se sentir confortável com as cláusulas do contrato, não o assine. É melhor perder uma oportunidade de negócio do que assinar um contrato que pode prejudicar você a longo prazo.
  • Entre em contato com a empresa: Caso a prática desleal tenha sido cometida por uma empresa, o primeiro passo é entrar em contato com ela e tentar resolver a questão de forma amigável. Se a empresa não estiver disposta a cooperar, ou se a situação não puder ser resolvida, é necessário tomar medidas legais.
  • Faça o registro de uma reclamação: O consumidor também pode registrar uma reclamação em um órgão de defesa do consumidor, como o Procon. Esses órgãos têm o poder de investigar as práticas comerciais desleais e aplicar recompensas às empresas infratoras.
  • Busque ajuda legal: Se você já assinou contratos abusivos e está sofrendo as consequências, procure a ajuda de um advogado especializado em Direito do Consumidor. Eles podem ajudá-lo a buscar uma solução legal e buscar compensação pelos danos sofridos.

 

Lembre-se sempre de que, em qualquer negociação, é importante proteger seus interesses. Se você suspeita que está sendo vítima de um contrato abusivo, não tenha medo de buscar ajuda jurídica. Com as medidas certas, você pode garantir que seus direitos sejam respeitados e evitar problemas legais futuros.

 

Ainda ficou com dúvida?

Assine o LegalPass e fale com um especialista agora mesmo.

 

Quero entrar com uma ação judicial por contratos abusivos e práticas comerciais desleais. E agora?

 

Existem algumas etapas essenciais para entrar com uma ação judicial por contratos abusivos e práticas comerciais desleais, entre as quais estão:

 

  1. Busque um advogado especializado em Direito do Consumidor: É importante contratar um advogado da área, que possua experiência em casos semelhantes ao seu. Ele poderá orientá-lo sobre seus direitos e possibilidades de sucesso em uma ação judicial.
  2. Selecione todas as informações relevantes: Para entrar com uma ação judicial, é importante que você reúna todas as informações relevantes sobre o contrato e/ou a prática comercial desleal. 
  3. Inicie o processo judicial: Caso não seja possível resolver o problema de forma extrajudicial, seu advogado poderá iniciar o processo judicial. Ele deve elaborar uma petição inicial, que é o documento que inicia a ação judicial, descrevendo todas as informações relevantes e os argumentos jurídicos que justificam a ação.
  4. Acompanhamento do processo: Após o início da ação judicial, é importante acompanhar o processo e fornecer todas as informações solicitadas pelo juiz. Se necessário, seu advogado poderá fazer recursos, a fim de garantir seus direitos.

 

Quer entrar com um processo sobre contratos abusivos e práticas comerciais desleais? Nós podemos te ajudar!

 

Por fim, o objetivo deste artigo é responder as principais dúvidas sobre os contratos abusivos e práticas comerciais desleais. Lembre-se que cada caso é único. Por isso, é importante contar com um advogado especializado para orientá-lo sobre as melhores opções para seu caso específico.

 

Para ajudá-lo nesse processo, o Mercado Legal conta com uma rede de profissionais altamente qualificados na área de Direito do Consumidor. Prezamos pela ética e responsabilidade em nossos atendimentos, sempre com o intuito de oferecer um bom suporte para nossos clientes. 

 

Além disso, os novos membros podem aproveitar nossas condições especiais para garantir o acesso à Justiça e resolver seus problemas jurídicos. 

 

Não espere mais! Busque seus direitos com o Mercado Legal. Encontre o advogado ideal e peça sua cotação agora mesmo.

 

Compartilhe nas redes sociais

Publicações relacionadas

Qual a sua dúvida?

Clicando no botão abaixo sua mensagem aparecerá no WhatsApp e você precisa enviá-la ao advogado escolhido. Em seguida o profissional dará continuidade ao seu atendimento por lá.

[rs-search-form type="full"]
Filtros
[rs-search-form type="full"]
Como foi sua experiência com este advogado?
5/5
[rs-comment-form]