Fraudes financeiras: como se proteger e reivindicar seus direitos

fraudes financeiras

Conheça estratégias de prevenção e recursos legais em caso de fraudes financeiras

 

O crescimento da economia digital e a facilidade de acesso a plataformas financeiras acaba se tornando uma faca de dois gumes. Se por um lado oferecem comodidade e rapidez nas transações, por outro, abrem portas para fraudes financeiras. Você já foi vítima de alguma?

 

As fraudes financeiras têm sido cada vez mais comuns e, geralmente, as abordagens são sutis e tentam se passar por amigos, familiares ou empresas. Para isso, os golpistas utilizam canais pessoais, como Whatsapp, ligação telefônica ou redes sociais. Neste contato, eles solicitam informações confidenciais, como senhas, cartões e transações bancárias. 

 

Por isso, é preciso estar atento e bem informado para acabar sendo vítima desse tipo de crime. Mas, caso aconteça com você, é importante saber como proceder. Neste artigo vamos falar sobre os diferentes tipos de golpes, suas possíveis abordagens, o que fazer para se proteger e como agir depois. 

 

Como os criminosos agem?

 

O primeiro passo para se proteger das fraudes financeiras é entender e conhecer algumas das táticas usadas por esses criminosos. Listamos alguns exemplos abaixo:

 

  •  Phishing

No método “phishing”, o criminoso envia uma mensagem que se parece com uma comunicação legítima de uma instituição financeira ou outra empresa confiável. O objetivo é induzir o usuário a divulgar informações pessoais ou financeiras.

 

  • Engenharia social

Essa técnica consiste em manipular pessoas para que elas revelem informações confidenciais, acessem links para sites corrompidos, entre outros. 

 

  • Roubo de identidade

Isso ocorre quando um criminoso obtém informações pessoais suficientes para se passar por outra pessoa. Com esses dados, eles podem abrir contas de crédito, obter empréstimos ou realizar outras atividades fraudulentas. Saiba mais sobre o assunto lendo o artigo: Empréstimo consignado sem autorização: o que devo fazer?

 

  • Malware 

Malware é a abreviação de “software malicioso” em inglês. Alguns criminosos usam software malicioso para infectar computadores ou celular e coletar dados diretamente do dispositivo da vítima, como senhas e informações de cartão de crédito. 

 

  • Roubo de SIM

Neste caso, o criminoso consegue convencer a operadora de celular a transferir o número de telefone da vítima para um novo SIM. Isso permite receber mensagens SMS e chamadas direcionadas à vítima, o que pode incluir códigos de verificação para acessar contas bancárias.

 

  • Golpes de investimento

O ladrão promove um “investimento” falso com promessas de retorno garantido ou lucros elevados. O dinheiro investido pelas vítimas é então usado para pagar outras vítimas em um esquema de pirâmide, ou simplesmente roubado.

 

  • Cartões clonados

Neste método, os bandidos usam um dispositivo para coletar informações de cartões de crédito ou débito. Isso pode acontecer, por exemplo, em caixas eletrônicos, postos de gasolina ou outros locais onde as pessoas usam cartões. Está com o cartão de crédito clonado? Saiba como um advogado pode te ajudar.

 

  • Abuso de autoridade ou posição

Em alguns casos, pessoas em posições de confiança, como consultores financeiros ou funcionários do banco, usam sua posição para enganar ou roubar clientes.

 

Estas são apenas algumas das muitas táticas usadas por bandidos para cometer fraudes financeiras. A melhor defesa é sempre a prevenção, e a chave para a prevenção é a educação e a vigilância.

 

Quais são as principais vítimas de fraudes financeiras?

 

Pessoas mais velhas podem ser especialmente vulneráveis a fraudes financeiras por várias razões: falta de familiaridade com a tecnologia digital, isolamento social ou declínio cognitivo. Por isso, os idosos são frequentemente alvo de golpes como fraudes em investimentos, golpes de loteria e até abusos por parte de cuidadores ou familiares.

 

Os idosos não são os únicos, é claro. Os indivíduos que são novos no mundo digital ou que não estão familiarizados com as práticas comuns de segurança online também são alvos fáceis.  Bem como aqueles que estão passando por dificuldades financeiras podem ser atraídos por esquemas que prometem dinheiro fácil e rápido, tornando-os suscetíveis a várias formas de fraude. 

 

Mas a verdade é que todos nós estamos suscetíveis a esse tipo de golpe. Por essa razão, é importante notar que, embora alguns grupos sejam mais vulneráveis, qualquer um pode se tornar uma vítima de fraude financeira. Porque os criminosos estão constantemente desenvolvendo novos métodos para enganar as pessoas, e muitas fraudes são bastante sofisticadas. 

 

Contrate o advogado ideal para o seu caso

 

Saiba como se proteger contra as fraudes financeiras

 

Nestes casos, a melhor forma de lidar com as fraudes financeiras é a prevenção, mantendo-se sempre vigilante e informado para minimizar os riscos. Aqui estão algumas dicas sobre como você pode proteger suas informações:

 

  • Verificação em duas etapas

Esse método adiciona uma camada extra de segurança, exigindo não apenas uma senha, mas também algo que apenas o usuário possui (como um telefone celular para receber um código de autenticação). Para utilizar, basta ativar essa função nas configurações de segurança da sua conta bancária online, e-mail e outras contas importantes.

 

  • Senhas fortes

As senhas fortes são aquelas que são difíceis de adivinhar e de serem quebradas por algoritmos. Para criar uma senha forte, é preciso utilizar uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e símbolos. Evite usar informações facilmente acessíveis como data de nascimento ou nome de familiares. 

 

  • Monitoramento de contas

Essa tática consiste em revisar regularmente as transações na sua conta bancária, cartão de crédito e outras contas financeiras. Para monitorar, é preciso configurar alertas para ser notificado sobre atividades suspeitas. Verifique seus extratos regularmente para detectar qualquer transação não autorizada.

 

  • Software de segurança

Os programas, como antivírus e firewalls, ajudam a proteger o seu computador ou dispositivo contra invasões e ameaças. Para se proteger, é só instalar um software de segurança de uma fonte confiável e mantê-lo atualizado. Não se esqueça de executar varreduras regularmente.

 

  • Não compartilhe informações

Para  manter suas informações financeiras e pessoais seguras, não as compartilhe a menos que seja absolutamente necessário. Por isso, seja especialmente cauteloso ao receber pedidos não solicitados de informações pessoais por telefone ou e-mail. 

 

  • E-mails e sites fraudulentos

Alguns e-mails e sites imitam organizações legítimas para coletar suas informações. Por isso, desconfie de qualquer comunicação que solicite informações pessoais ou financeiras, especialmente se você não iniciou o contato.

 

  • Cautela com links

É preciso ser cauteloso ao clicar em links em e-mails ou mensagens. Portanto, passe o mouse sobre o link para ver para onde ele realmente direciona antes de clicar. Se você tiver alguma dúvida, acesse o site diretamente através do navegador.

 

  • Conheça seus direitos

É importante ter o conhecimento das leis e regulamentos que protegem os consumidores contra fraudes e práticas desleais. Se surgirem quaisquer dúvidas, é aconselhável buscar orientação dos especialistas em direito do consumidor do LegalPass. Eles estão prontos para oferecer a assistência necessária e garantir que seus interesses sejam protegidos.

 

  • Guarde seus comprovantes financeiros 

Guardar todos os registros e documentos relacionados às suas transações financeiras é muito importante. Por exemplo, e-mails, notas fiscais, e mensagens podem servir como comprovante para ir atrás de seus direitos. 

 

Seguir estas dicas pode proporcionar uma proteção significativa contra a maioria dos tipos de fraudes financeiras.

 

O que fazer se você for vítima de fraude financeira

 

Em caso de fraude financeira, tomar medidas imediatas não apenas minimiza o dano, mas também ajuda as autoridades a identificar e capturar os criminosos responsáveis. Siga as principais dicas do que fazer:

 

  • Entre em contato com o seu banco

O primeiro passo é ligar para o atendimento ao cliente da sua instituição financeira o mais rápido possível para que bloqueiem a conta ou cartões para evitar mais prejuízos. Para isso, certifique-se de ter todos os detalhes à mão, como informações de transações suspeitas.

 

  • Faça um boletim de ocorrência

É muito importante dirigir-se à delegacia mais próxima e relatar o incidente. Porque um boletim de ocorrência é uma documentação oficial que pode ser útil em futuras investigações e processos judiciais. Por isso, leve todos os documentos, correspondências ou outras provas que você possua.

 

  • Informe as autoridades

Além da polícia, outros órgãos podem ser responsáveis por regular e investigar fraudes financeiras. No Brasil, isso pode incluir o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Porque estas organizações podem tomar ações regulatórias contra os criminosos e ajudar a alertar o público.

 

  • Aprimore sua segurança

Após resolver o problema imediato, revise e fortaleça suas práticas de segurança financeira. Pois isso minimizará o risco de você se tornar vítima de fraudes similares no futuro.

 

Consulte um advogado

 

Busque orientação de um advogado especializado em fraudes financeiras ou direito do consumidor. Em casos mais sérios, um advogado pode ajudá-lo a entender seus direitos e opções legais, bem como representá-lo em ações legais para recuperar seus fundos ou reivindicar outros direitos.

 

Os advogados que fazem parte do LegalPass estão prontos para oferecer orientação, proteger e garantir que seus direitos sejam respeitados. 

Compartilhe nas redes sociais

Assine nossa
Newsletter

Seus Direitos

Publicações relacionadas

Ver todos

Qual a sua dúvida?

Clicando no botão abaixo sua mensagem aparecerá no WhatsApp e você precisa enviá-la ao advogado escolhido. Em seguida o profissional dará continuidade ao seu atendimento por lá.

[rs-search-form type="full"]
Filtros
[rs-search-form type="full"]
Como foi sua experiência com este advogado?
5/5
[rs-comment-form]
$(window).on('scroll', function(){ if($("#transBlack")is(':visible')){$("#transBlack").addClass(".blackSession");}});